Amor pelo bebê nem sempre é instantâneo

amor instantaneo

E isso é totalmente normal

Uma das promessas da maternidade é aquela paixão avassaladora pelo bebê à primeira vista, certo? Nem sempre! A representante comercial Alice Costa, 36, mãe de Laura, 10 meses, não sentiu seu coração bater como sonhou. “Imaginava que, assim que meu bebê nascesse, olharia nos olhos dele e seria aquela paixão imediata. Mas não”, conta.

Um levantamento do National Childbirth Trust (Inglaterra) revelou que uma em cada três mães tem dificuldades de se conectar com o bebê. E mais: uma em cada dez sentem vergonha de discutir essa situação com algum profissional. Nada de se sentir mal por isso! “É aos poucos que as conexões vão aparecendo e o bebê vai entrando na vida da mãe. Mas é preciso abrir espaço para que a mulher consiga expor esse sentimento”, diz Raquel.

Para Alice, apenas o convívio diário é que foram aproximando mãe e filha. “Entendi que o nosso amor não nasceu de uma paixão arrebatadora, ele foi cultivado, mamada a mamada. O tempo foi passando, tivemos muitos desafios juntas e o amor foi nascendo em mim e nela também. Hoje em dia, ela é minha vida”, completa.

 

Fonte: Revista Crescer